Notícias

"Campus de Reflexão JS" com Correia de Campos

No próximo Sábado, pelas 15h00, na Sede do PS Viseu, vai decorrer a 2ª edição do "Campus de Reflexão JS".

Depois de terem discutido o Ensino Profissional na primeira edição, os jovens socialistas querem agora discutir o passado, o presente e o futuro do Serviço Nacional de Saúde, com a presença de António Correia de Campos.

Ler notícia →

16 de Dezembro de 2014

Vereadores e Programadores culturais contestam

Os vereadores do PS não concordam com o prazo de dez dias dias estabelecido para as candidaturas ao programa de apoio à cultura e criatividade aprovado na última semana pelo executivo de Viseu.

Os socialistas, que votaram contra na reunião onde o programa foi apresentado e aprovados os regulamentos, justificam-se com um prazo de "curto" e por "não garantir equidade entre grandes projectos e projectos emergentes ou entre instituições consolidadas e novos actores".

Os dez dias previstos no regulamentos para os programadores apresentarem as candidaturas, após a publicação de um edital, é contestada igualmente por programadores culturais.

Falam num prazo "pouco realista" porque dez dias são "nada para fazer uma candidatura para projectos complexos" com conceitos originais e adaptados a Viseu.

Fonte: Jornal do Centro

Ler notícia →

15 de Dezembro de 2014

Viagem a Lisboa com fim à vista

Os alunos do 4º ano de escolaridade das escolas do concelho de Viseu deixam de ir a Lisboa de comboio.

A viagem anual, lançada há 17 anos, pelo anterior executivo de Fernando Ruas, foi suspensa por Almeida Henriques.

A oposição socialista discorda da decisão do executivo PSD até porque "não conheço nenhuma alternativa", refere o vereador José Junqueiro.

Para os socialistas, a viagem de comboio a Lisboa "era um momento lúdico, com uma forte componente pedagógica e muitas escolas não vão ter oportunidade de fazer viagens de estudo dessa magnitude".

Consideram ainda que "para muitas crianças, sobretudo as mais carenciadas, esta era uma oportunidade única".

Para José Junqueiro, esta decisão do executivo PSD é uma atitude "tão ininteligível" como a de a autarquia ter tentado criar uma "confraria infanto-juvenil dos vinhos do Dão" destinada a crianças dos 7 aos 12 anos.  

Fonte: Jornal do Centro

Ler notícia →

14 de Dezembro de 2014

Comissão Política Concelhia

Decorreu ontem, na Associação Comercial do Distrito de Viseu, mais uma reunião da Comissão Política Concelhia.

Os temas centrais foram as eleições directas do PS, o Congresso Nacional, o panorama político nacional e local, e a discussão das perspectivas futuras nesses 2 planos de actuação do partido.

Ler notícia →

13 de Dezembro de 2014


Próximos Eventos


Outras notícias

Os Vereadores do PS, José Junqueiro e João Paulo Rebelo, estiveram presentes no acto de lançamento do Hospital CUF Viseu.

O investimento global da José Melo Saúde e da Visabeira vai gerar 160 postos de trabalho diretos.

Situa-se no pólo da cidade onde se encontra o Palácio do Gelo. Abre no primeiro trimestre de 2016.

O projecto que representava um investimento de 40 milhões de euros já tinha sido apresentado em 2010 e estava previsto para começar a funcionar em 2012.

Ler notícia →

13 de Dezembro de 2014

Desde que António Costa foi eleito (como candidato do partido a primeiro-ministro) nas primárias de Setembro, o PS cresceu 4,5 pontos percentuais. E o PSD, em igual período, caiu 2,8.

Nas contas deste estudo, o Partido Socialista alarga a distância em relação à soma dos partidos da coligação. Agora, a diferença entre PS e PSD/CDS é de cinco pontos - há um mês era de quatro. E já falta menos de um ano para as eleições legislativas. 

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/sondagem-ps-sobe-apesar-de-socrates=f902376#ixzz3M3M82JK0

Ler notícia →

12 de Dezembro de 2014

José Junqueiro - artigo de opinião publicado no Diário de Viseu de 10 de Dezembro

Enquanto se espera a boa novidade do presidente

A informação nas reuniões de câmara tem, por vezes, o seu quê de extraordinário. Quando existe pode conter algo que não se apanha à vista desarmada, que procura surpreender, mas ao contrário também surpreende, muitas vezes em relação aos direitos de autor.

Explicando. Um diário titula que “Apoio à cultura vai ser feito por concurso” (…) “uma inovação a nível nacional”, lê-se no corpo da notícia. E acrescenta: “tornamos a atribuição dos apoios mais acessível e transparente”. Tudo palavras do presidente que assim queria responder à declaração de voto contra do PS.

E o que dizia essa declaração? “ (…) Os vereadores não concordam com o prazo de dez dias estabelecido para as candidaturas (…) por ser curto e não garantir equidade entre “grandes projetos” e “projetos emergentes” ou “entre instituições consolidadas” e “novos atores”, conforme o edital (…) “votam contra em nome dos princípios da transparência e igualdade de oportunidades.” É “algo que não se apanha à vista desarmada”.

E quando não existe informação? Dois exemplos.

Primeiro: a autarquia tentou criar uma "confraria infanto-juvenil dos vinhos do Dão" destinada a crianças dos 7 aos 12 anos. Não foi previamente discutido no executivo. Foi um facto consumado, uma novidade surpreendente, mas tão infeliz que até a lei relativa ao consumo de álcool por menores foi trucidada. Sim, ninguém está a ver crianças em provas e a distinguirem um tinta Roriz de um Alvarelhão.

Segundo: "A câmara de Viseu decidiu acabar com a iniciativa “De comboio até Lisboa” com a qual, desde 1997, a autarquia pagava uma viagem de comboio até Lisboa aos alunos do 4º ano do 1º ciclo.” Outra surpresa. Não foi discutido previamente, nem se conhecem razões, nem alternativas.

No entanto, o que me preocupa ainda mais é a incapacidade para surpreender no crescimento e no emprego, no estímulo à criação de empresas e, muito em particular, na industrialização.

Se, por exemplo, a pastelaria “Lobo” ou o restaurante “Cortiço” reabriram, tal ficou a dever-se à intervenção da câmara, como se insinuou. Se o centro de competências Bizdirect se instalou no IPV em Viseu, projeto que decorreu de um trabalho entre a instituição e a Sonae, a versão é a mesma. Não se pretende diminuir o interesse ou importância da autarquia em qualquer realização. Apenas apelo à moderação e à justa medida!

A outra dimensão. Fomos informados, na última reunião, de que esta semana o presidente anunciaria um grande investimento, exclusivamente resultante da sua ação e conhecimentos, e que daria origem a mais de uma centena de postos de trabalho. Fiquei surpreendido e curioso. O presidente, pela primeira vez, iria tirar um coelho da cartola!

Recebi, entretanto, um convite de José de Melo Saúde e da Visabeira para o lançamento do “Hospital CUF Viseu”, também para esta semana, em sessão presidida, e muito bem, pelo nosso edil. 

O mesmo aconteceu com a Casa de Saúde que vai ter um grande impulso, como se constata nos “placards” do edifício, oferecendo à região mais e melhores serviços. Belas notícias e grande coragem dos investidores.

Falta apenas a cereja no cimo do bolo: o tal novo investimento que a ação do presidente da câmara vai trazer para Viseu. Não há duas sem três. Anunciará esta semana. Desde já os meus parabéns, enquanto se espera a boa novidade do presidente.

Ler notícia →

10 de Dezembro de 2014

O Partido Socialista votou desfavoravelmente a proposta de Orçamento para 2015 apresentada pelo executivo da Freguesia de Viseu, em assembleia de freguesia no passado dia 5 de dezembro.

A proposta acabou aprovada com a necessidade de recurso ao voto de qualidade do Presidente da Mesa da Assembleia uma vez que os votos a favor foram tantos como os votos desfavoráveis, 9 de cada lado. O Bloco de Esquerda, por sua vez, e pela segunda vez em dois anos consecutivos, absteve-se.

O voto do Partido Socialista contra a proposta de Orçamento do executivo da Freguesia assenta nas mesmas justificações que lhe assistiram em dezembro de 2013 quando votou contra a proposta de Orçamento para o ano que agora finda, já que ambas as propostas relevam dos mesmos pressupostos doutrinários, intenções políticas e hierarquização de prioridades de investimento do órgão executivo.

Trata-se, mais uma vez, de um Orçamento desequilibrado em óbvio desfavor das áreas sociais, da cultura, da qualificação e do desporto e de injusta insistência enfática em rubricas cujo desenvolvimento a partir do estádio bem consolidado em que já se encontram é, mais do que questionável, reprovável, como é o caso do investimento previsto - desproporcional em vista das necessidades mais urgentes da Freguesia - na aquisição de bens e serviços e de bens de capital. Mais censurável, ainda, é a já recorrente multiplicação de rubricas ditas residuais – quase sempre formuladas de forma genérica e demasiado vaga - que, apesar disso, representam montantes muito significativos de dotações e alocação de verbas. A título de exemplo: Prémios, Condecorações, Ofertas, artigos honoríficos e de decoração – 8000€; Rúbricas Residuais (Outros) - 18600€; Publicidade – 7500€; Em contraponto gasta-se o mesmo montante, 7500€, em Actividades Culturais ou também Estudos e Pareceres - 2500€. Em contraponto gastam-se em actividades Desportivas e Recreativas o mesmo montante 2500€. Ou ainda um valor desproporcionado em ajudas de custo, representação dos serviços e deslocações e estadas - 9500€.

De sublinhar que o executivo do PSD consegue, mais uma vez e num cenário de correlação de forças em que não dispõe de maioria absoluta na Assembleia de Freguesia, fazer aprovar a sua proposta de Orçamento, plácida e rapidamente. Algo que os eleitores da Freguesia de Viseu, em setembro de 2013 quando decidiram quebrar um ciclo de maiorias absolutas do PSD que durava desde o 25 de Abril de 1974, nunca pensaram que fosse possível. O representante à Assembleia pelo Bloco de Esquerda tem-no tornado possível com as suas sucessivas abstenções em matéria orçamental, a mais decisiva e fundamental da política do executivo da Freguesia. Desta forma, o órgão executivo tem visto intocável o essencial das suas política e prática administrativa, mantendo-se - previsivelmente - impermeável a soluções negociadas e mais profundamente dialogadas com as outra forças políticas representadas na Assembleia de Freguesia. Não respeitar a vontade expressa pelos eleitores, que decidiu não dar continuidade a nível da Freguesia de Viseu às maiorias absolutas do PSD, denuncia ou falta de honestidade intelectual ou incapacidade gritante de interpretar com nitidez os ciclos e momentos políticos emergentes. 

O Partido Socialista responde por si. Garante a todos os fregueses, residentes e eleitores – e dentro destes tanto aos que em si votaram como aos que tenham votado em qualquer outra força política –, que continuará a bater-se por uma política que ultrapasse e redima o actual estado executivo de perniciosa e lamentável ausência de uma verdadeira e consequente sensibilidade aos problemas sociais e económicos prementes da nossa Freguesia de Viseu.

Os membros da Assembleia de Freguesia de Viseu eleitos na lista do Partido Socialista : Alexandre Azevedo Pinto, Mário Rui Dias, Augusto Antunes, Rosinha Silveira, Ana Maria Madureira (em substituição nesta reunião de José Maria Costa) e Adelino Lopes (em substituição nesta reunião de Manuela Martins).

Ler notícia →

08 de Dezembro de 2014

Os Vereadores do PS (José Junqueiro, João Paulo Rebelo e Rosa Monteiro) marcaram presença na Gala do Centenário do Académico de Viseu.

Nesta noite de festejos e de distinções às velhas e novas "glórias" do clube nas várias modalidades, estiveram presentes cerca de 1000 pessoas.

Parabéns ao clube por esta marca histórica.

Ler notícia →

07 de Dezembro de 2014

Um político incontornável.

Um símbolo da liberdade.

O pai da democracia.

Qualquer palavra é curta para lhe agradecer.

Obrigado por tudo e Muitos Parabéns!

Ler notícia →

07 de Dezembro de 2014